Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘internet’

Pedro Doria, Link, 7 de março de 2011

A Comissão Federal de Telecomunicações americana ganhou um conselheiro á proteção do consumidor na internet e nos serviços móveis. É Tim Wu, professor da Escola de Direito da Universidade de Columbia, Nova York. Seu trabalho:garantir que a rede continue neutra. Que às grandes empresas de telecomunicações não seja permitido decidir se um site carregará mais rápido do que outro. (mais…)

Anúncios

Read Full Post »

Entrevista a Pekka Himanen, filósofo finlandés y autor de ‘La ética hacker’

Guillermo del Palacio, Navegante, 11 de febrero de 2011

El filósofo finlandés Pekka Himanen, autor del libro ‘La ética hacker’, considera que “es imposible controlar Internet”, por lo que las medidas que buscan el cierre de páginas web para que los usuarios no accedan a contenido protegido, como la ‘ley Sinde’ no tienen sentido, ya que hay muchas maneras de saltarse los controles. “El control no es la solución”, explica Himanen. (mais…)

Read Full Post »

Cuarta Generación (con información de Wired), Agencia Matriz del Sur, 10 de febrero de 2011

Según el Pentágono, “bombardeos lógicos” en sitios de internet de países adversarios pueden desconectar presencias on line y hasta interrumpir las comunicaciones de modo de separar facciones de guerra, antes de adoptar una opción nuclear. (mais…)

Read Full Post »

IHU On-line entrevista Sergio Amadeu, 8 de fevereiro de 2011

A licença Creative Commons está em consonância com a lógica de interação da internet, pois permite que “o autor tenha uma licença juridicamente consistente, sem que seja preciso contratar um advogado. Isso facilita, regulariza as situações, dá segurança jurídica para o compartilhamento”, defende Sérgio Amadeu, em entrevista concedida à IHU On-Line por telefone. Diferentemente da lei de direitos autorais, o Creative Commons “pensa claramente na importância de direitos reservados ao autor” e garante que as “obras sejam divulgadas, distribuídas, recombinadas, e deem origem a novas criações”, explica. (mais…)

Read Full Post »

Na Rede crescem as insidias de quem quer afirmar a liberdade de cada um em relação ao poder dos estados e das empresas. E, se Wikileaks e Julian Assange revelam a insuportabilidade do segredo industrial e de Estado, os ‘social network’ recolhem, todavia, informações individuais para transformá-las em mercadoria para vender à melhor oferta.

Giulia Pacifici entrevista Richard Stallman, Il Manifesto, 19 de janeiro de 2010. A tradução é de Benno Dischinger. Reproduzido de IHU On-line.

O frio deste instável inverno romano não impede Richard Stallman de apresentar-se ao encontro vestindo uma camisa florida de meia manga. Quem o conhece, no entanto, certamente não se espanta com o look. Guru tutelar do software livre, Stallman é atualmente um guru da atitude hacker, papel que recobre desde quando, em 1983, bateu às portas do Massachusetts Institute of Technology para desenvolver um sistema operativo para computador não submetido às normas dominantes sobre o copyright. Desde então fez muitas coisas, entre as quais a de fundar a Free Software Foundation, uma fundação sem fins lucrativos que promove um uso não vinculado à lógica proprietária que regula a produção e a cessão dos programas de informática. A ele se deve a licença GPL (General Public Licence) que garante a livre distribuição do software. (mais…)

Read Full Post »

A rede social obrigará os criadores de jogos a utilizar o Facebook Credits. O objetivo final é impor-se como um padrão de transações na rede.

Manuel Ángel Méndez, El País, 27 de janeiro de 2011. A tradução é do Cepat. Reproduzido do IHU On-line.

Novo golpe de efeito (e de autoridade) de Mark Zuckerberg. A partir de julho todos os criadores de jogos no Facebook, desde a Zynga e a Playfish até os pequenos estúdios, estarão obrigados a utilizar a moeda virtual da rede social, o Facebook Credits, para vender produtos digitais. Seu objetivo imediato é evidente: abocanhar parte dos ingressos em jogos sociais, um setor que este ano moverá 1,9 milhão de euros. (mais…)

Read Full Post »

Comunicação frenética on-line é forma de loucura, diz socióloga dos EUA. Sherry Turkle afirma que a tecnologia está ameaçando dominar nossas vidas e nos tornar menos humanos

Paul Harris, The Guardian / Folha.com, 2 de fevereiro de 2011

O modo frenético como as pessoas se comunicam on-line por meio do Twitter, do Facebook e de mensagens instantâneas pode ser visto como uma forma de loucura moderna, de acordo com uma importante socióloga norte-americana. (mais…)

Read Full Post »

Older Posts »